terça-feira, 24 de junho de 2014

Anorexia e bulimia

Difícil falar em Gula sem que uma imediata associação à comilança não se imponha à nossa mente. O campo da Gula, no entanto, é de uma amplitude assustadora. Começa pela gula alimentar que é de fácil observação. Tem uma tradução estética bem conhecida, que se expõe ao olhar de todos na medida em que gera o abdômen saliente– o barrigão – e se espalha pelo resto do corpo, deformando o em toda extensão.
A Gula contamina a fome e transforma o apetite em voracidade, sem que, de início, a pessoa se aperceba de que já não come só pela fome essencial, necessária à reposição do desgaste calórico de quem está vivo.
O combustível indispensável a essa transformação da fome em Gula, é um desmedido medo inconsciente da morte, de que um grande número de pessoas sofre, sem se dar conta. A ingestão excessiva de alimentos funciona como se fosse uma garantia de reservas inesgotáveis, ainda que o corpo se deforme e perca suas qualidades estéticas.
O guloso se torna assim um escravo do sabor dos alimentos. Com isso, introduz na equação dos exageros quantitativos um fator qualitativo, hedonístico, que acrescenta prazer à demasiada ingestão de substâncias doces ou de paladar requintado.
A Gula está em toda a parte contaminando o comportamento humano. Somada ao hedonismo ela propõe prazeres intermináveis e poderes inesgotáveis, como se a condição humana tivesse sempre que se submeter a constantes retrocessos, ditados pelos impulsos dos que não conhecem a saciedade.

O alimento ocupa um lugar privilegiado no mundo mental da anoréxica. Torna-se um objeto primordial e passional, investido de amor/ódio, atração/repulsa, idolatria/horror, promovendo uma excitação sem saída e sem descarga. Se pensarmos que o alimento é o que baliza a relação mãe-bebê, veículo pulsional e agente de desejo, poderemos nos lançar sobre a questão lançada pela anoréxica, que consiste na recusa extraordinária dos alimentos. Em outras palavras, aquilo que deveria ser representativo de um vínculo amoroso, torna-se nocivo e venenoso.@blogdaisabela


Demi Lovato: bulimia e anorexia tiveram início desde a época do colégio

 

Depois de sofrer bullying na escola, Demi Lovato teria começado a vomitar e a se automutilar.

 E quando "só" a bulimia e a perda de peso se tornaram insuficientes para afastar a dor que Demi sentia, ela passou a se automutilar. "Comecei com os meus pulsos. As pessoas viram isso, então, eu cortava em lugares em que elas não poderiam ver. Você faz isso porque se sente muito mal por dentro e não sabe como extravasar", explicou.

eu mesma ja cheguei a mim automutilar e não é nada bom e eu não quero isso pra ninguem é uma coisa que denstrói sua vida e sua alma na época eu tinha 15 anos, cominha de tudo e depois vomitava mim sentia cada vez mais gorda, mais depois de um tempo descubrir que pra ser magra não é preciso deixar de comer e depois vomita tudo o que comir, e sim se alimentar bem de 3:00 em 3:00 horas  e envitar exageros e comidas gordurosas comendo frutas e bebendo muita água, por que bom é ser feliz por dentro e por fora, sem precisar desse tipo de atitude nogenta, pesse bem antes de fazer isso pode levar a morte nunca façam isso você é bonita do jeito que é. ;)

 famosas com anorexia.

bulimia comer de tudo e depois vomitar

 ANOREXIA VOCÊ SE SENTI GORDA NO ESPELHO MESMO ESTADO MAGRA DEMAS
bjus.

Um comentário:

  1. adorei. taiane seu blog e essa materia pode ajudar muita gente com isso.

    ResponderExcluir